Quando chega a tempestade

tempestade
Por Carla Ribas

Sua chegada costuma ser anunciada. 
A previsão do tempo nos alerta para que providências possam ser tomadas. 





O tempo vai fechando aos poucos, as nuvens vão se aglomerando no céu até esconder os raios do sol. Rapidamente podemos ver as primeiras gotas se transformarem em chuva pesada. 

Em outras ocasiões, somos surpreendidos pela tempestade que chega de repente e cai pesada, modificando a rotina num piscar de olhos. Algumas se estendem por longos períodos. Outras passam logo.

Uma coisa é certa: ninguém gosta de ser pego de surpresa. 

Na vida também é assim, as tempestades vêm e vão. Há aquelas que parecem querer nos sucumbir; tiram o nosso norte, arrancam os nossos telhados, estragam o nosso jardim, sujam as nossas vidraças, ensopam o nosso corpo (e para as mulheres: nossos cabelos!). Seus trovões assustam e os raios são avistados com espanto. 

Existe um outro tipo de ameaça que pode até provocar os mesmos trovões e raios mas acaba se dissipando e nem chega a acontecer de fato, deixando apenas alguns arranhões que logo serão esquecidos.

A verdade é que a tempestade só é um espetáculo para quem está assistindo em local seguro e abrigado dos danos que ela pode causar. Para os que estão expostos, é inevitável sofrer suas consequências, por menores que sejam.

O propósito da tempestade é, entre outros, regar as plantações para o crescimento dos alimentos que tanto necessitamos, a manutenção e equilíbrio da natureza, encher os rios e refrescar o meio ambiente.

O mesmo processo ocorre quando a tempestade da vida nos pega de surpresa: se ela for muito forte, com ventos soprando em alta velocidade, nos sentimos desprotegidos, expostos e até mesmo abandonados. 

Ninguém espera uma separação, a perda de um ente querido, uma demissão, a falência do seu negócio, uma doença grave, a traição de um amigo chegado, calúnias como travesseiro de penas ao vento, um filho que se rebela ou pais que se perdem na vida afetando toda a família. Como pode uma pessoa fiel a Deus passar por algo assim? Deus sabe o motivo.

Por isso é que a Bíblia está repleta de exemplos de pessoas que passaram pelos mesmos problemas, sofreram as mesmas dores e foram socorridas por Deus. Podemos evitar muitos sofrimentos aprendendo com elas.

Às vezes sabemos o que deve ser feito, mas escolhemos desobedecer a Deus. Então precisamos olhar para Jonas, que tentou fugir da presença de Deus tomando o navio que iria para a cidade mais longínqua. Se Jonas tivesse lido as palavras de Deus para Jó "Onde você estava quando lancei os alicerces da terra?" (Jó 38.4), teria percebido a impossibilidade do homem de fugir de Deus. 
Finalmente ele só resolveu fazer o que Deus havia mandado após muito sofrimento. 


Não somos diferentes; insistimos em determinado erro e passamos por momentos difíceis tentando justificar nossas atitudes decorrentes do tal erro. Mas é inútil essa tentativa. Melhor mesmo é detectar a origem do problema, onde erramos, pedirmos perdão a Deus (e se for preciso a alguma pessoa também) e agirmos de forma correta para acalmar a tempestade.

Se estivermos na presença de Deus a abordagem é diferente. Atos 27 nos ensina valiosas lições. Paulo e alguns outros presos, seriam transferidos para a Itália. Uma vez no navio, tudo corria bem, na medida do possível, até que os ventos mudaram e chegou a tempestade. 

Paulo, (então prisioneiro) além de dar instruções de procedimento a todos naquela embarcação (276 pessoas), mostrou sua fé, falou do amor de Deus, afirmou que ninguém morreria e que Deus ainda tinha um plano na vida dele. Apenas a embarcação sofreria.

Mesmo assim, quando a tempestade piorou, houve a ameaça de todos os prisioneiros serem mortos para que não fugissem. Mas havia uma promessa de Deus para a vida de Paulo no meio daquela tempestade.

A adversidade gerou a oportunidade de falar do amor de Deus. A condição de preso possibilitou a proximidade com o centurião Julio, encarregado de vigiar Paulo de perto. Com o passar do tempo, o centurião passou a respeita-lo pelo seu comportamento e testemunho. Foi de Julio a decisão de não matar os prisioneiros, em consideração a Paulo.

Finalmente veio o livramento; os homens se jogaram ao mar, esforçaram-se e nadaram até a enseada. Todos chegaram vivos. A palavra de Deus havia se cumprido.

A tempestade pode ter chegado em sua vida. Permaneça fiel a Deus e creia que o livramento virá e você pisará terra firme. 

Enquanto isso, cuide para tirar o melhor proveito possível desta situação; permita-se ser controlado pelo Espirito Santo. Aprofunde sua intimidade com Deus. Dê ouvidos à Sua voz.  Ore mais, leia mais a Bíblia,  reflita sobre o que leu e procure aprender a agradar a Deus. 

Enxergue a oportunidade de demonstrar o amor dEle através das suas atitudes e palavras durante essa adversidade

Confie. Não chegou o fim. Deus ainda tem promessas para cumprir em sua vida.
Quem vigia você hoje, passará a admirar a sua conduta. Quem o ameaça, poderá vir a ser canal de bênção para o cumprimento da promessa de Deus em a sua vida. Quem deliberadamente te prejudica, amanhã pode não mais fazer parte da sua realidade.


Foto Tempestade: deandeguarafiles.wordpress.com

Um comentário :

  1. Muito verdadeiro!...Deus usando vc para mandar uma mensagem tão linda!..
    Obrigada!

    ResponderExcluir

Olá,
Obrigado por comparecer ao blog Viva Bons Momentos e interagir através do seu comentário. Sua opinião é importante para nós.
Lembramos que a legislação brasileira responsabiliza o blogueiro pelo conteúdo do blog, incluindo os comentários escritos por visitantes. Assim sendo, agradecendo a visita e a interatividade de todos, avisamos sobre nossa Política de Moderação de Comentários:
• O Editor do blog Viva Bons Momentos analisa todos os comentários e não publica conteúdos que infringem as leis. São eles: palavrões, digitações caluniosas; ofensivas, que contenham falsidade ideológica, que firam a privacidade pessoal ou familiar e, em determinados casos, os comentários em anonimato.
•O editor desse Blog não aceita publicar todos os comentários anônimos. Embora haja aceitação de digitação de comentários anônimos, não significa que o mesmo será publicado. Priorizamos a publicação dos identificados. Os anônimos são publicados apenas quando escritos objetivando a preservação do digitador quando o assunto referir-se a ele mesmo.
Obrigado,
Viva Bons Momentos