Pode o cônjuge adúltero ser realmente perdoado?


Por Jaylin Palacio
Tradução e Versão: Carla Ribas

O adultério é um pecado que causa grandes estragos na família. A pessoa traída sofre intensa dor emocional. 



A pessoa infiel sente vergonha e culpa. As crianças sofrem confusão e perda da estabilidade familiar. 

Deus entende a gravidade das consequências do adultério; tanto que esse assunto é tratado nos Dez Mandamentos: "Não adulterarás" (Êxodo 20.14). 

Quando esse dano é causado no casamento, a única maneira para que a restauração completa possa ocorrer é através do arrependimento do traidor, não só do adultério, mas também dos pecados que o acompanham. Muitos outros pecados vêm junto com adultério, como cobiça, engano e orgulho. 

O adultério também inclui cinco das sete coisas que o Senhor odeia de acordo com Provérbios: "Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos. Pv 6.16-19. 

Adultério envolve a língua mentirosa, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras e semear discórdia entre as pessoas. Ao cometer adultério,  a pessoa sempre mente sobre o seu paradeiro, planeja reuniões secretas, atende a essas reuniões e o resultado é a discórdia e a contenda entre todas as pessoas afetadas. 

Uma vez que o adúltero começa a mentir, isso leva a mais e mais mentiras à medida que a traição continua e o abismo entre marido e mulher cresce cada vez mais. Que armadilha perigosa! "pois a prostituta é uma cova profunda, e a mulher pervertida é um poço estreito."

Como o assaltante, ela fica de tocaia, e se multiplica entre os homens infiéis. Pv 23.27-28
O trauma resultante causado pelo cônjuge infiel é indescritível. Na sequência, de que forma o cônjuge fiel deve agir? A Bíblia é o nosso guia para a vida, e o melhor recurso é a maneira como agir face às inevitáveis ​​provações e tribulações da vida. 

"E vivam em amor, como também Cristo nos amou e se entregou por nós como oferta e sacrifício de aroma agradável a Deus.” Ef. 5.2

A Bíblia nos instrui a sermos gentis, compassivos, perdoar uns aos outros, e viver uma vida cheia de amor. Isso é mais fácil dizer do que fazer ao ser profundamente ferido por alguém que você ama. O cônjuge abandonado não pediu para ser colocado nessa situação de imensa dor; ainda que esteja nessa situação por culpa de duas outras pessoas. 

Qual a coisa certa a fazer? Não parece justo que ao cônjuge traído seja imposta a carga de conceder perdão e amor à pessoa que traiu a sua confiança. Mas os caminhos de Deus não são os nossos caminhos, e os pensamentos de Deus não são os nossos pensamentos. Embora em nossa limitada compreensão humana possa parecer injusto que o cônjuge traído deva conceder o perdão e o amor para a pessoa que abandonou o relacionamento, "Há caminho que parece certo ao homem, mas no final conduz à morte.” Pv 14.12. A falta de perdão é prejudicial para a saúde da pessoa traída. É veneno espiritual que acabará por levar à morte espiritual. 

A Bíblia nos ensina a perdoar e orar por nossos inimigos. O perdão não é para o benefício de nossos inimigos, mas para o nosso benefício. O perdão não tolera o que foi feito. O perdão rompe a relação de controle entre o traidor e o traído. O perdão não significa que o cônjuge infiel não terá consequências para a ofensa. As conseqüências virão. O perdão é a maneira da pessoa traída deixar as conseqüências nas mãos de Deus e permitir que Deus cure o coração da pessoa abandonada. 

Alguns dizem que o perdão não é necessário e que a aceitação é boa o suficiente. Aceitação significa que você aceita o fato que foi traído e não pode mudar o passado. No entanto, se a pessoa não der o passo extra para o perdão, ele ou ela ainda poderá sofrer de uma condição mental e emocional negativa. 

Entendo que perdoar não é fácil. Eu, (Jaylin Palacio, autora do texto) fui profundamente ferida pelo homem que amei por 23 anos. Eu poderia ter escolhido apenas aceitar que fui traída e tentar seguir em frente com a minha vida. No entanto, ainda faltaria perdão em meu espírito, o que causaria a raiz de amargura. 

A falta de perdão tem muitas conseqüências negativas para a pessoa que foi abandonada. A falta de perdão permite que o traidor continue invadindo sua mente e coração e dificulte o processo de cicatrização. A condição emocional e mental negativa da pessoa ferida pode parecer ter sido resolvida, mas a amargura e a negatividade sempre voltarão,  impedindo  a completa cura que o Senhor tem para essa pessoa. 

A Bíblia nos ensina a perdoar, não apenas aceitar. O benefício do perdão não é para a outra pessoa. É para aquele que foi traído. O perdão ocorre internamente. Você não precisa ter a pessoa perdoada envolvida em sua vida. 

O perdão implica que, em seu coração, você libera a outra pessoa para Deus. Isso significa que dentro de você, não há ressentimentos e você escolhe desejar o bem para a pessoa. Você não está permitindo que a pessoa invada a sua mente para gerar sentimentos de ódio. Você não está bebendo o veneno da falta de perdão, mas sim a escolhendo permitir que Deus cure completamente o seu coração sem nenhum traço de amargura. 

Conceder perdão é a última coisa que desejamos fazer quando sofremos tanta dor. No entanto, se vamos apenas fazer a escolha de perdoar em obediência a Deus, Ele nos dará a capacidade de realmente perdoar para ficarmos completamente curados, de modo que  não soframos mais negatividade em nosso espírito. Como resultado, damos exemplo para os nossos filhos, incentivando-os a desistir da raiva e da amargura. Isso restaura a paz e a estabilidade no lar. 

Mesmo que o adultério cause tanta destruição, é possível, e até necessário, perdoar verdadeiramente, a fim de evitar que a situação cause ainda mais destruição em nossos lares. O cônjuge responsável, no entanto, deve estar verdadeiramente arrependido das suas ações para que isso não aconteça novamente. 

Você ou alguém que você conhece está enfrentando as conseqüências do adultério? As pessoas podem nos trair, mas Deus nunca nos deixará nem nos abandonará. Ele nos dá a capacidade para realmente perdoar e nos livrarmos da dor da traição.
Fonte: Charismamag.com
Tradução e versão: Carla Ribas
Foto: iStok

5 comentários :

  1. Experiência vivida, é a pior dor. Mas o perdão é a cura!

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto..muito bem centrado e baseado na Bíblia...mas digo que além da dor (a traição seja de que forma for,dói muito em qualquer relacionamento,inclusive no de amizade)o perdão é muito,muito difícil,porque está intimamente ligado a dor e a cicatrização da mesma...
    Só mesmo por Deus,com fé inabalável em Cristo...O perdão significa "esquecimento".As consequências ficam por conta do traidor...
    Suely


    ResponderExcluir
  3. Anônimo10/1/16

    Porque SÓ condenar o adultero? E quem deita com ele sabedor de seu estado civil? Como fica? "Não adulterarás" significa INCLUSIVE não permitir que outro peque! Afinal quem peca e deve ser punido neste tipo de relacionamento? Acho absurdo a justiça UNILATERAL!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo11/12/16

    Não creio que a consequência seja unateral. O traído deve perdoar os dois. Por obediência a Deus. O que é necessário é o arrependimento do cônjuge que traiu. Da outra pessoa é irrelevante pois quem se arrependeu de coração não comete mais o mesmo pecado.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo29/4/17

    Obrigado por essa palavra, dificilmente o adúltero confessa e se arrepende,mas a cura do traído está em perdoar em Deus.

    ResponderExcluir

Olá,
Obrigado por comparecer ao blog Viva Bons Momentos e interagir através do seu comentário. Sua opinião é importante para nós.
Lembramos que a legislação brasileira responsabiliza o blogueiro pelo conteúdo do blog, incluindo os comentários escritos por visitantes. Assim sendo, agradecendo a visita e a interatividade de todos, avisamos sobre nossa Política de Moderação de Comentários:
• O Editor do blog Viva Bons Momentos analisa todos os comentários e não publica conteúdos que infringem as leis. São eles: palavrões, digitações caluniosas; ofensivas, que contenham falsidade ideológica, que firam a privacidade pessoal ou familiar e, em determinados casos, os comentários em anonimato.
•O editor desse Blog não aceita publicar todos os comentários anônimos. Embora haja aceitação de digitação de comentários anônimos, não significa que o mesmo será publicado. Priorizamos a publicação dos identificados. Os anônimos são publicados apenas quando escritos objetivando a preservação do digitador quando o assunto referir-se a ele mesmo.
Obrigado,
Viva Bons Momentos